nans @ 23:43

Dom, 30/09/12

É um livro bastante lento de se ler, um pouco chato até. Não me interpretem mal, o livro está muito bem escrito, com uma linguagem cuidada e vê-se claramente que a autora teve a preocupação de descrever cada cena ao pormenor, mas ... tem demasiados excessos.
Passo a explicar; o livro tem 273 páginas e trata-se de uma história que poderia ser contada em metade delas, daí ser aborrecido ler o livro. Se me perguntarem se me lembro de metade do livro, terei que ser sincera e dizer não.
Cada capitulo tem, no máximo dos máximos, dez páginas e demorei, em média, meia hora para cada capitulo, o que não é, em nada, normal.
Se é um história original e interessante? Sim, mas o excesso estragou por completo o livro.
Não quero, de modo algum, dizer que odeio os livros da Melissa Marr, por isso, vou esperar pelo segundo e ver se melhora.


Sinopse;
Em seus dezesseis anos, Aislinn se comporta aparentemente como qualquer garota de sua idade. Sai com suas amigas, gosta de música e tem um garoto em mira, ainda que desse último ela não esteja muito certa. No entanto, também tem algo nela que não tem nada se normal: assim como sua avó, Aislinn é capaz de distinguir os Élfos que vivem invisíveis entre os humanos, um dom incrível, que mais que um dom é uma maldição, pois esses seres não gostam de serem descobertos e costumam castigar com crueldade as pessoas que detectam sua presença. Sendo assim, seguindo ao pé da letra as regras secretas que sua avó lhe ensinou – nunca atraia a atenção dos elfos, não responda aos elfos, não olhe para os elfos – Aislinn terá que se virar para passar despercebida, especialmente aos olhos de Keenan, o rei dos elfos, que se propôs a seduzi-la e convertê-la em sua rainha.