nans @ 23:58

Dom, 30/09/12

Acho que já disse isto, mas volto a dizer; a saga Casa da Noite tem um boa história, mas escrita é abominável.
Depois de seis livros é como se a escrita perdesse completamente a qualidade, de livro para livros.
Para mim o livro é um simbolo de cultura. Para além de contar uma história também deve de ter uma escrita, no minimo, razoável.
O que se passa com os livros da CdN é que tenta chegar a um público mais juvenil e para isso tenta utilizar uma linguagem que os jovens usam, tenta utilizar calão.
Desculpem-me, mas por mais desculpas que tentem dar para a linguagem utilizada nos livros é-me dificil aceitar o que quer que seja. Para mim, a partir do momento em que leio a pseudo palavra "beca" (sim, como em "espera uma beca") num livro algo está completamente errado. É que há lá palavras que eu nunca vi na minha vida, as autoras chegam ao ponto de as inventar.
E depois a sensação que dá é que para o livro não parecer assim tão "inculto" há palavras que nenhum adolescente usa. É como se tivessem escrito e depois fossem ao dicionário procurar alternativas mais cultas para dizerem uma coisa que seria bastante simples de escrever.
Pode parecer que não, mas tenho um enorme carinho por esta saga. Foi quando li o primeiro livro, Marcada, que a minha febre pela leitura começou, mas há que ser sincera. Talvez seja apenas o carinho que nutro pela saga que me faz continuar a ler os livros, mesmo eles sendo tão maus a nível de escrita.
Verdade seja dita, é uma boa história, com reviravoltas fantásticas e vê-se que há um esforço a nível de pesquisa (ligações mitológicas, antigas lendas, ...) mas a má escrita estraga por completo uma saga que poderia ser espectacular. Não acho que seja necessário o livro estar escrito qual Carmilla ou outro grande clássico, mas deveria de haver um melhor controlo na escolha das palavras a usar.


Sinopse;
Num mundo igual ao nosso mas onde os vampyros não só existem como são tolerados, A Casa da Noite é uma escola de referência. Um local cheio de perigos e segredos onde os jovens marcados têm dois destinos: ou se transformam em vampyros ou morrem destroçados.
Zoey Redbird é uma das melhores alunas e foi escolhida pela deusa Nyx para um grande destino. Mas como se não bastassem todas as invejas de que é alvo, agora enfrenta desafios cada vez mais difíceis: para além de ter de lidar com três rapazes que disputam os seus afetos, (sendo um deles um Guerreiro destinado a proteger Zoey e a sentir as suas emoções), também terá de enfrentar as forças negras que despertam nos túneis sob Tulsa.
Estranhas visões avisam Zoey de que deverá resistir aos encantos de Kalona, e também mostram que apenas ela terá o poder de travar esse imortal maléfico. Cedo se torna claro que Zoey não tem escolha: se não se render a Kalona ele vingar-se-á sobre os seus amigos mais próximos e a família. Terá Zoey Redbird a coragem para arriscar perder a sua vida, o seu coração e a sua alma?