nans @ 17:31

Seg, 01/10/12

Tenho que me lembrar de nunca terminar de ler um livro desta saga antes de ir dormir, porque sinceramente, apesar de estar cheia de sono, ao chegar ao fim do livro, ontem à noite, estava completamente desperta e ansiosa por ler o seguinte (que infelizmente ainda não há em português).
Com o passar do tempo as sagas têm tendência a perder qualidade e nada na história surpreende, mas curiosamente tal não se passa na saga Laços de Sangue. A autora consegue manter-nos interessados na história, mesmo que os acontecimentos mais relevantes apenas aconteçam já para o fim do livro. Ai aqueles twists, isso sim é que eu chamo surpreender o leitor.
Sim, porque há twists e twists e acho que nunca li nada que apresentasse algo tão inesperado como nos livros da Jennifer Armintrout. Óbvio que não os vou contar aqui, porque senão estraga-se a surpresa. Juro que fiquei uns bons cinco minutos a olhar para o livro feita monga tal foram as surpresas.
E aquele Max? Juro que simpatizei com o rapaz desde o inicio, mas depois deste livro tenho a dizer que gosto ainda mais dele.
Claro que, tal como aconteceu com o livro anterior, o livro está escrito na primeira e na terceira pessoa, mas tal é justificado, porque senão não se percebia como deve de ser a história.
Também é de louvar o afastamento do casal principal para dar lugar a um novo casal. Claro que adoro o Nathan e a Carrie, mas torna-se um pouco cansativo a história girar sempre em torno das mesmas pessoa.
É mais do que óbvio que recomendo este livro, bem como os anteriores.


Sinopse;
Ser vampiro é uma questão de vida ou de morte.
Quando fui iniciada tinha apenas de me preocupar com a minha sobrevivência, mas agora estou envolvida numa batalha pela sobrevivência da raça humana — e tudo parece estar definitivamente contra mim.
A sede do Movimento Voluntário de Extinção de Vampiros foi destruída e o seu medonho animal de estimação, o Oráculo, anda à solta. Nada o poderá impedir de transformar o mundo num paraíso de vampiros, mesmo que isso signifique ajudar o Devorador de Almas a tornar-se num deus, aproveitando o poder para os seus propósitos malignos.
Um vampiro antigo, um semi-deus bebedor de sangue. Ah, é verdade, o meu anterior progenitor, agora humano, também está envolvido. Eles que venham! E que vença o melhor monstro.


find it ...: