nans @ 23:01

Seg, 01/10/12

Numa bela tarde, sem nenhum livro por perto, a não ser um livro que me tinha sido devolvido por um colega, eis que me aventuro na leitura desse mesmo livro, logo no inicio de uma aula de três horas. Ainda nem tinha sido feito o intervalo normal, eis que eu estou novamente sem material de leitura.
É esta a história de como li a história de vida de Benjamin Button, por alguns conhecidos como Brad Pitt. 
Adoro o filme, confesso, e quando descobri que tinha sido adaptado de uma obra literária foi-me impossivel não ficar curiosa. 
Não o planeava ler tão cedo, até porque estou a ler outro livro, mas ontem, em duas horas li o livro. São setenta e cinco páginas, uma leitura bem simples e directa, sem grandes diálogos. 
Claro que me é impossivel não compara o livro com o filme. Aliás, diga-se que o filmes faz todo o sentido e o livro não. No livro o bebé Benjamin nasce como um homem velho e leia-se "homem" mesmo, um ser humano que fala e reciocina como um adulto. Ora, é perfeitamente impossivel acreditar-se que um homem adulto seja capaz de sair de dentro do ventre de uma mulher.
A teoria do nascer velho e morrer jovem é a única ligação entre o filme e o livro. E acreditem quando digo que é mesmo a única. Aliás, quem ler a nova edição do livro, com o cartaz do filme na capa, fica confuso, porque o Benjamin Button nunca é abandonado pelo pai, a mãe dele não morre, ele não vai morar para um lar de idosos, ele não se apaixona por um bailarina ruiva de quem tem uma filha, ele não trabalha num barco e toda aquela jornada que vemos o Benjamin do filme passar não acontece no livro. Ao ler-se o livro todo o filme é deixado de lado, porque nada do que aparece no filme é retirado do livro (excepto a tal teoria). 
Mentiria se dissesse que não gostei do livro, porque na sua simplicidade está a qualidade de um conto clássico e também se pode dizer que o facto de não ter nada a ver com o filme me surpreendeu, porque nunca pensei que um filme pudesse, alguma vez, ser melhor do que o livro no qual foi inspirado.
Mas leiam, não perdem nada, muito pelo contrário. 


Sinopse;
Na génese deste conto publicado pela primeira vez em 1922 terá estado, segundo F. Scott Fitzgerald, uma observação de Mark Twain em que o escritor lamentava que a melhor parte da vida fosse ao início e a pior no fim. Assim nasceu Benjamin Button, mas, como o leitor poderá começar a adivinhar, para grande desgosto e estupefacção de todos os envolvidos, o «pequeno» Benjamin vem ao mundo com a aparência, o tamanho e as peculiaridades de um homem de 70 anos… O Estranho Caso de Benjamin Button inspirou uma adaptação ao grande ecrã.


find it ...: