nans @ 22:28

Qui, 27/09/12

Para quem leu o primeiro livro da trilogia, na minha opinião, irá ficar deveras desapontado. 
Tenho a dizer que o primeiro livro foi um dos melhores livros de vampiros que li, uma vez que não se centra numa história de amor, como tem vindo a acontecer com todos os livros que existem por aí e que falem de vampiros.
Apesar da linguagem cuidada, neste livro o facto de ser escrito na primeira pessoa torna o livro aborrecido e enjoativo. 
Por norma demoro uma semana a ler um livro de 200 e tal páginas. No caso de Ascensão de Arcana demorei duas semanas e o livro nem a 200 páginas chega. 
A história em si é interessante e a trama está bem construída, mas mais uma vez, a maneira como está escrito tira qualquer interesse que possa surgir.
Daimon apresenta-se como o eterno vampiro torturado pelo passar dos anos, forçando-nos a ter "pena" da vida nocturna que leva, Lilia é-nos apresentada como uma amante que parece não se importar com o vampiro que ama e Janus parece uma criança na manhã de natal, não transmitindo a responsabilidade de um soberano. 
Espero pelo o ultimo livro, na esperança que consiga apagar o triste registo que Ascensão de Arcana deixou em relação ao Tomo 1.

Sinopse;
Neste segundo volume da Trilogia Nocturnus entramos uma vez mais num universo intenso de romance, aventura e emoções fortes. Passaram-se quase seis anos desde a derrota do tirano Alexandre Phoenix. Aracana floresce agora sob a regência de Janus MoonHunter. Mas, no seu íntimo, Daimon ouve ainda o sussurro que lhe segreda que algo está errado. Um terrível acontecimento abate-se sobre os vampiros de Arcana: a Lei do Silêncio é quebrada! A Daimon, Janus, Andrew, Lilia, Pandora e Ascelli juntam-se agora três outros vampiros, enviados a Arcana para ajudar a encontrar e punir aqueles que desafiaram quebrar a Lei. Mas também estes forasteiros guardam segredos, e Daimon desconfia que o culpado poderá estar mesmo a seu lado…