nans @ 20:08

Dom, 30/09/12

Ah, parece que depois de alguns livros a "encher chouriço", como se costuma dizer, os livros da saga True Blood voltaram a despertar algum interesse.
Não que Traição de Sangue seja algo comparável com os primeiros volumes, mas a história é interessante, apresentando algumas reviravoltas interessantes e algumas surpresas lá para o meio, algo que ainda consegue surpreender.
A autora consegue apresentar-nos as pistas todas para desvendar o mistério e depois com uma mestria admirável, faz-nos esquece-las, de maneira a que o desfecho seja uma surpresa.
Mas o ponto alto do livro terá que ser quando Sookie descobre que não é uma humana normal, ou melhor, que não é humana de todo. E claro, é impossível não referir que não foi por acaso que ela se encontrou com Bill.
Por falar em Bill, já era mais do que hora de partir para outra. Não segredo nenhum que não sou grande fã da Sookie ou mesmo de Bill, nem como personagens individuais ou como casal e não pude deixar escapar o pormenor de que cada vez mais ela se vai afastando dele, partindo, ora de Eric, para Quinn e, quem sabe, para Alcide.
Já era mais do que hora de True Blood voltar a prender a minha atenção, a nível literário.
Cinco estrelas, como se costuma dizer.


Sinopse;
Sookie Stackhouse, uma empregada de bar na pequena vila Bon Temps em Louisiana, tem tão poucos parentes vivos que a entristece perder mais um; neste caso a sua prima Hadley, amante da rainha dos vampiros de Nova Orleães.
Hadley deixou tudo o que tinha a Sookie, mas reclamar essa herança tem riscos elevados. Há quem não queira que ela vasculhe demasiado o passado e as posses da prima - nomeadamente uma pulseira valiosa que faz parte de um conjunto oferecido pelo rei vampiro do Arkansas à rainha do Louisiana, e que Hadley roubou e escondeu antes de ser assassinada.
Sookie tenta evitar um conflito diplomático entre os dois reis mas, mais uma vez, a sua vida está em perigo pois alguém fará qualquer coisa para a travar...